Um diário de bordo

sábado, 2 de janeiro de 2016

Colorindo as páginas em branco

2015 foi, definitivamente, um ano difícil pra mim.
Explosões de raiva. Choro. Descontrole alimentar. Financeiro. Social.
Síndrome do pânico.
Remédios. Terapia.
Solidão.
Falta de identificação. "Essa não é mais a minha praia." "Essa não é mais a minha turma."  "Essa aí, no espelho, não é mais quem eu sou."
No início, o medo é enorme. Você fica sem nada. Vazio e escuro.
Hoje, aceito esse vazio como uma página em branco.
Continuo não sabendo quem eu sou, onde está minha turma, qual é a minha praia.
Mas aceito o desafio de me buscar. Aceito o fato de que se eu quero ter amigos devo, primeiramente ser amiga. Se eu quero receber, devo doar. Se eu quero sorrir, devo ser leve, engraçada. Se quero amor, devo amar. Se eu quero aventura, devo abrir mão de controlar. Se quero abundância, tenho que parar de medir. Se quero aceitação, devo desconstruir a métrica em que enquadro os outros...
Por enquanto, essas são as minhas metas pra 2016.
Fazer de mim mais feliz em 2016!!!
Feliz ano novo
Vem colorir 2016 comigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tô construindo a vida que eu sempre quis! e você?????????