Um diário de bordo

domingo, 10 de abril de 2011

Maria foi pra night (porque balada é coisa de paulista!)

E chegou agora!!!!!
Vizinhos achando estranho eu, pessoa que acorda às 5 pra trabalhar e quase não dou as caras no portão, estar de sentinela, como uma coluna do templo até agora.
Já com remorso, culpa, raiva e preocupação.
Affffffffffffffffffffffffffffe, que agonia.
E eis que surge a dita cuja, linda e loira, rindo com as amiguinhas e tagarelando tal qual uma cacatua sobre como dançou e andou de salto a noite toda sem sentir dor no pé (#inveja!!!!!)
Alívio é uma palavra que não exprime tudo que senti!
E o pior é que - não sei onde estava com a cabeça - que ela saísse 1 vez por mês, para ir se 'acostumando a liberdade'.
sim, porque soltar é difícil pra nós, mas é pior pra eles.
E nada pior que um adolescente se sentindo largado.
Ou preso demais...
Estou tentando achar o equilíbrio, a boa medida.


E um comprimidinho de lexotan.


Alguém aí tem um pra emprestar?????

3 comentários:

  1. rsrs que bunitinho! as mães sofrem :s

    ResponderExcluir
  2. Bem fiquei com olho cheio d'água de orgulho de tu!!!!!!!! Só voc~e sabe o quanto é difícil e necessário. parabéns

    ResponderExcluir
  3. Ai Fabi, não foi fácil soltar meu filho...hoje já é um homem, mas a gente sempre continua preocupada rs.
    O importante é sempre orientar e ser amiga paa que te conte tudo o que acontece quando vc não está por perto.
    A gente cria filhos para o mundo...eo mundo é cruel se eles não estiverem preparados para tal.
    Solte, mas segure a corda.
    Beijos

    ResponderExcluir

Tô construindo a vida que eu sempre quis! e você?????????